domingo, 5 de novembro de 2017

Os benefícios da cúrcuma à menopausa.

A menopausa é uma mudança natural na vida de toda mulher, que marca o fim da sua habilidade reprodutiva. Isso ocorre geralmente na meia idade, entre os 40 e 50 anos.

Essa transição envolve mudanças hormonais e a redução na atividade dos ovários. Os óvulos não são mais liberados e a produção de hormônios e o fluxo menstrual são reduzidos.

A peri-menopausa é o período de transição que antecede o último ciclo menstrual e quando a mulher já começa a enfrentar os sintomas associados à menopausa, devido aos níveis hormonais erráticos. A pós-menopausa é o período após o ciclo menstrual final, quando o fluxo menstrual é interrompido por mais de um ano.

Períodos menstruais irregulares, ondas de calor, palpitações, insônia, suores noturnos, pruridos, atrofia e secura vaginal, urgência de urinar e fadiga são sintomas comuns da menopausa. Os efeitos psicológicos devido aos níveis inadequados de hormônios incluem entre outros, depressão, ansiedade, irritabilidade, perda de memória e problemas de concentração. As mulheres na pós-menopausa correm maior risco de osteoporose, doenças cardíacas, degeneração macular, glaucoma, câncer de cólon, etc. No entanto, os sintomas da menopausa diferem de mulher para mulher.


No Ocidente cerca de 75% das mulheres padecem com alguns desses sintomas. Como a menopausa não é uma doença, não requer nenhum tratamento. O que se aplica são diversas alternativas para controlar e amenizar os sintomas.

As terapias de reposição hormonal (TRH), os antidepressivos e os medicamentos para controle da pressão arterial são comumente prescritos para lidar com sintomas relacionados à menopausa.

Para as mulheres que não querem ou não podem usar essas terapias convencionais, existem soluções alternativas na medicina natural, que ajudam muito no controle desses indesejáveis sintomas.

Muitas mulheres têm conseguido controlar a maior parte deles, sem a ajuda de medicamentos, apenas mudando alguns hábitos, tais como incluindo no seu dia a dia a prática de atividades físicas, meditação e relaxamento, mudança nos hábitos alimentares, etc.

A inclusão da cúrcuma (açafrão da terra) na dieta também tem ajudado muito na superação dos sintomas.

A cúrcuma, é conhecida como a “deusa dourada” das especiarias, não só pela sua cor amarelo-dourado e sabor aromático, mas também por suas propriedades curativas. Ela oferece uma ampla gama de propriedades farmacológicas, como antioxidantes, anti-inflamatórios, antimicrobianas, anticancerígenas, etc.

Os curcuminóides são um grupo de compostos responsáveis pela cor amarelo vibrante do tempero.

A curcumina é um ingrediente ativo desse grupo e contribui significativamente para as propriedades curativas da especiaria.

A cúrcuma tem uso terapêutico em vários problemas de saúde, alguns dos quais, mencionados a seguir, são relevantes para a menopausa.

A cúrcuma como fitoestrógeno
Os fitoestrógenos são metabólitos de plantas que imitam ou modulam a atividade do estrogênio no nosso corpo. Os suplementos de fitoestrógenos são sempre sugeridos como uma alternativa à terapia de reposição hormonal. A cúrcuma é um fitoestrógeno de ação comprovada.

A deficiência de estrogênio durante a menopausa pode levar ao risco de muitos problemas de saúde, tais como as ondas de calor, distúrbios do sono, secura vaginal, dores nas articulações, mudanças de humor, redução na densidade óssea, doenças cardiovasculares, etc.

A cúrcuma pode revelar-se útil na redução desses sintomas, pois pode elevar e equilibrar os níveis de estrogênio no organismo.


A cúrcuma como analgésico
A cúrcuma possui um potencial analgésico significativo, comparável aos analgésicos comuns. Em um estudo realizado com animais, comparou-se a atividade do óleo de açafrão com aspirina, e o resultado demonstrou que o óleo de açafrão reduziu o inchaço na pata do animal em 76%, enquanto a aspirina, na mesma dose tinha uma atividade inibitória de 62%.

A curcumina é efetiva na melhora da dor pós-operatória e da fadiga, demonstrando sua atividade anti-inflamatória e analgésica. Sua atividade anti-inflamatória é comparável à do analgésico diclofenaco sódico.

Essa propriedade da cúrcuma pode ajudar a tratar a enxaqueca, dores nas articulações ou dores musculares causadas pela menopausa.

Cúrcuma e ondas de calor
As ondas de calor são uma das queixas mais comuns e afetam cerca de 75% das mulheres na perimenopausa. É uma sensação de calor intenso com muita transpiração e batimentos cardíacos acelerados. Os baixos níveis de estrogênio são considerados os responsáveis por esse sintoma.

Um estudo experimental realizado em mulheres na menopausa relatou que a menopausa e as ondas de calor provocam mudanças bioquímicas no organismo, como a redução da atividade antioxidante. A atividade antioxidante da cúrcuma é tão potente quanto a da vitamina C e da Vitamina E.

A cúrcuma é um dos antioxidantes dietéticos que é sugerido para ser incorporado na dieta feminina, especialmente daquelas mulheres que não podem fazer a reposição hormonal convencional.

A cúrcuma como antidepressivo
Os sintomas depressivos são muito comuns durante a perimenopausa. Os níveis muito baixos de estrogênio e depressão tem pouca ou nenhuma correlação.

Pesquisadores analisaram e confirmaram que fatores como menopausa, insônia, estresse e ondas de calor estão relacionados com sintomas depressivos.

A cúrcuma demonstrou atividades antidepressivas em estudos feitos com animais.

Um estudo clínico realizado na Índia, avaliou a segurança e a eficácia da curcumina como antidepressivo em comparação com a fluoxetina ou Prozac.

Os resultados confirmaram que a curcumina possui atividades antidepressivas comparáveis à fluoxetina, com a vantagem de não causar efeitos adversos.

A curcumina também é eficaz no controle da ansiedade. Sua atividade é comparável ao diazepan. Ela aumenta os níveis de DHA (ácido docoso-hexaenóico) que são vitais para controlar a ansiedade e essenciais para o desenvolvimento e funcionamento do cérebro.

Cúrcuma para infecções vaginais
A fase da pós-menopausa, o declínio nos níveis de estrogênio e a atrofia vaginal podem aumenta a susceptibilidade das mulheres às infecções vaginais. Essas infecções são caracterizadas por pruridos, dores ou coceiras na área genital.

A cúrcuma é um agente microbiano natural. A curcumina provou ter efeito sinérgico com antibióticos no combate de infecções bacterianas resistentes a medicamentos.

Um ensaio clínico foi realizado com 32 pacientes, na faixa de 24-62 anos que sofriam de vaginite. Elas foram tratadas com uma fórmula tópica à base de plantas durante 2 semanas e o extrato de cúrcuma foi um dos principais ingredientes. As propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antifúngicas do açafrão entraram em ação e em 14 dias após o início do tratamento, as pacientes apresentavam alívio de todos os sintomas e os testes realizados confirmaram a ausência de infecção.

Aumento da imunidade e cúrcuma
O comprometimento da imunidade é um motivo de preocupação para mulheres na pós-menopausa. Uma revisão de 30 estudos mostra que a diminuição dos níveis de estrogênio leva a redução da imunidade e aumenta a vulnerabilidade às doenças autoimunes. Isso aumenta a incidência de doenças como diabetes, aterosclerose e doenças cardiovasculares .

A menopausa cirúrgica também está relacionada com a queda da imunidade e a terapia hormonal pode melhorar essa condição.

Isso sugere que a cúrcuma como fitoestrógeno também pode ajudar na reparação das respostas imunes. No entanto, este não é o único atributo da “deusa dourada” que pode ajudar na imunidade comprometida. A curcumina é um impulsionador do sistema imunológico.

A curcumina tem potentes propriedades imunomoduladoras: pode reduzir os processos inflamátórios, a migração de células ligadas ao sistema imunológico e a produção de substancias químicas pró-inflamatórias, todos os quais ocorrem como resultado de alterações da imunidade que levam ao desenvolvimento de doenças auto-imunes.

Obesidade e cúrcuma
A transição que ocorre durante a menopausa não está apenas limitada a queda de hormônios, sangramento ou imunidade. Também está relacionada com o peso corporal.

A distribuição da gordura corporal é afetada pelas alterações hormonais e a deposição de tecido adiposo na região abdominal é muito comum. Alguns estudos sugerem que a terapia de reposição hormonal pode ajudar a reduzir o ganho de peso. 

Mas se você busca uma opção mais saudável, mais saborosa e segura, sem reações adversas, sugiro que você consuma cúrcuma.

A curcumina promove efeitos anti-obesidade de várias maneiras:
ü  Regula o metabolismo da gordura.
ü  Inibe a formação de gorduras e desenvolvimento de tecido adiposo.
ü  Exerce atividade antiinflamatória e antioxidante que suprime a inflamação no tecido adiposo.
ü  Reduz o risco de câncer relacionado à obesidade, como os de cólon, mama, rim, etc.

Cúrcuma e o coração
As mulheres pós-menopausa são mais propensas a sofrer um ataque cardíaco que os homens. Os níveis reduzidos de estrogênio levam ao aumento das palpitações cardíacas.

A curcumina exerce um papel protetor nas doenças cardiovasculares e é um dos polifenóis alimentares recomendados por seus efeitos benéficos à saúde cardiovascular e sua ação protetora contra o envelhecimento.

Suas propriedades antitrombóticas, antioxidantes e antiinflamatórias ajudam a reduzir o risco de aterosclerose, insuficiência cardíaca e arritmia (batimentos cardíacos irregulares). Os vasos sanguíneos tendem a diminuir com a idade e perder elasticidade. Isso obstrui o fluxo sanguíneo e causa inúmeros problemas cardíacos, como ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais.

A falta de estrogênio também pode afetar a saúde do coração afetando o estado dos vasos sanguíneos. Um estudo realizado por uma equipe japonesa provou que os suplementos de curcumina podem melhorar o fluxo sanguíneo e o funcionamento dos vasos sanguíneos.

A ingestão de curcumina combinada com exercícios físicos podem reduzir o estresse no coração de mulheres pós-menopáusicas, ajudando a liberar fluxo sanguíneo e evitar a obstrução devido ao estreitamento das artérias. A curcumina também é benéfica para aqueles que sofreram de ataques cardíacos. Ela restaura as funções cardíacas e melhora o sistema cardio-vascular.


Saúde óssea e cúrcuma
O consumo de cúrcuma pode ajudar a preservar a saúde óssea da mulher na pós-menopausa. O estrogênio é essencial para a formação óssea. A falta de estrogênio pode reduzir a densidade dos ossos e dentes, o que causa um desequilíbrio entre a formação óssea e absorção de cálcio, que leva a ossos e dentes fracos. Ossos fracos são suscetíveis a fraturas.

Um estudo realizado na Coréia do Sul provou que a perda óssea causada pela deficiência de estrogênio pode ser melhorada pelo consumo de curcumina. Eles sugerem que a curcumina aumenta a densidade óssea em virtude de suas propriedades antioxidantes.

A Universidade do Arizona testou o efeito protetor da cúrcuma em ratos com osteoporose pós-menopausa. Os ratos foram submetidos à remoção cirúrgica do ovário e tratados com extratos de cúrcuma de diferentes composições (41% e 94% de curcuminoides em peso). O extrato com 94% de curcuminoides reduziu 50% da perda óssea causada pela ovariectomia.

Como mencionado anteriormente, a queda nos hormônios femininos leva à diminuição da imunidade e isso pode levar ao aparecimento de artrite reumatoide.

Vários estudos comprovam o potencial terapêutico da cúrcuma contra a artrite reumatoide. Um deles mostrou que a mistura de rizomas de gengibre e de cúrcuma revelam-se melhores do que a indometacina na redução da inflamação ligada à artrite e aos fatores de risco. A cúrcuma reduz a inflamação e simultaneamente ativa o sistema de defesa para reduzir o aparecimento e a progressão da artrite reumatoide. A porcentagem de recuperação da doença foi maior em 10% no grupo da cúrcuma do que o grupo de analgésicos.

Os condrócitos são células presentes nos tecidos cartilaginosos e ajudam no desenvolvimento das células ósseas. A curcumina exerce propriedades condroprotetoras - equilibra a formação e a reabsorção óssea. Devido a este atributo, a cúrcuma previne o desenvolvimento da artrose óssea.

Câncer de mama e cúrcuma
A cúrcuma reduz o risco de se desenvolver câncer de mama. O aumento do peso corporal e os níveis de hormônios femininos são dois fatores que controlam o desenvolvimento do câncer de mama pós-menopausa.

Os fitoestrógenos ou o estrogênio derivado de plantas têm efeito adequado sobre o risco de câncer de mama. Os curcuminoides presentes na cúrcuma têm efeito anticâncer de mama e inibem o desenvolvimento de células cancerígenas.

Devido aos numerosos mecanismos moleculares envolvidos no efeito anticancerígeno da cúrcuma, os pesquisadores sugerem que a curcumina seja administrada como um adjuvante para drogas quimioterápicas no tratamento do câncer de mama.

O tratamento hormonal também aumenta o risco de câncer de mama em mulheres pós-menopausa. Uma pesquisa mostra que a curcumina pode atuar como agente quimiopreventivo e reduzir o risco de desenvolver câncer de mama em decorrência da terapia hormonal.

Dosagem
A melhor maneira de consumir cúrcuma é inclui-la à dieta. Apenas 1 colher de chá de pó de cúrcuma por dia é suficiente, seguro e não causa problemas. Para garantir uma melhor absorção da cúrcuma pelo organismo, é recomendado consumi-lo juntamente com pimenta do reino ou gorduras.

Conclusão
A menopausa é parte de um ciclo natural da vida da mulher. Não é uma doença que precisa ser curada. Seus sintomas variam de intensidade e tempo de duração, de mulher para mulher. Existem mais de 40 sintomas correlacionados à menopausa em suas várias fases. Para uma minoria de mulheres, esses sintomas são implacáveis, terríveis e limitantes. Para a maioria são apenas desconfortáveis e desagradáveis.

As terapias de reposição hormonal são a solução que a maior parte das mulheres adotam. No entanto, elas são uma espada de dois gumes, uma vez que tornam as mulheres propensas a riscos e outras complicações de saúde.

As numerosas propriedades curativas da cúrcuma podem ser úteis para lidar com essa fase da vida e ajudar a reduzir o desconforto durante todos os ciclos da menopausa.

Em média, as mulheres vivem um terço de sua vida na fase pós-menopausa. As propriedades curativas da cúrcuma não se limitam apenas as mulheres na menopausa, mas também a aquelas em breve entrarão nesse estágio e podem prevenir e melhorar muito sua qualidade de vida no futuro, incluindo a cúrcuma em sua dieta o quanto antes. 

E então decidiu incluir a cúrcuma em sua dieta? Não se esqueça que a Cuesta Sabores oferece uma linha de temperos especiais, totalmente naturais, sem adição de sal, glutamato monossódico (MSG) ou qualquer química. Os temperos MAROCCAN e VEGGIE incluem a dose certa de cúrcuma para beneficiar a sua saúde, prevenir doenças e ajudar você a superar os difíceis sintomas da menopausa. 

Cuide bem do seu corpo... é ele o veículo que te leva para todos os lugares do planeta...

Tenha uma vida plena, saudável, feliz e perfeita! 

Ozana Herrera








2 comentários:

  1. Maravilhosa essa informação! Obgda pq essa fase e insuportável e o que mais precisamos e de informação para enfrentarmos essa fase da menopausa da melhor forma.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado vou passar a usar mais cúrcuma no meu dia a dia pois estou passando por momento difícil com a chegada da menopausa.

    ResponderExcluir