terça-feira, 8 de dezembro de 2015

As melhores combinações de temperos para vegetais.

Nós nos acostumamos tanto com o sabor e as combinações tradicionais de temperos, que nos esquecemos completamente que existem muitas maneiras deliciosas de temperar os alimentos, principalmente os legumes e verduras.

Existem muitos sabores e aromas além do alho, cebola, salsinha e sal. 

O sabor de muitos vegetais podem ser intensificados ou amplificado se você adotar uma nova perspectiva.

Mesmo pessoas que não gostam de legumes, passam a consumi-los e adota-los em suas dietas quando experimenta essa nova maneira de prepara-los.

O número de combinações de vegetais e temperos é infinito. Aqui estão algumas sugestões que podem ajudar a inovar o modo de temperar seus vegetais. 

Experimente qualquer um desses temperos recomendado para complementar o vegetal. São várias opções para cada um. Escolha as ervas e especiarias que você mais gosta e ignore as que você não gosta.

Recomendo que se você não conhece todos, experimente uma de cada vez e vá acrescentando as demais a cada preparo. Dessa maneira é fácil de descobrir como é o seu paladar.

Essa lista é uma referência para legumes grelhados, assados, refogados ou ao vapor.


Abobrinha: Manjericão, orégano.

Alcachofras: Folhas de louro, salsa, orégano e tomilho

Aspargos: Alho, limão, cebola, cebolinha, sementes de gergelim e estragão.

Batata doce:  Pimenta da Jamaica, cardamomo, canela, cravo, noz-moscada.

Batatas: Cebolinha, dill, páprica, salsa, tomilho, cúrcuma.

Berinjela: Manjericão, cominho, manjerona e orégano.

Beterrabas: Anis estrelado, pimenta da Jamaica, manjericão, funcho, gengibre e hortelã.

Brócolis: Pimenta vermelha, cúrcuma, alho, aipo.

Cebolas: Cominho, mostarda, noz-moscada, orégano, sálvia e tomilho.

Cenouras: Pimenta da Jamaica, anis estrelado, folhas de louro, cominho, canela, cravo, gengibre, hortelã, sálvia e estragão.

Cogumelos: Pimenta do reino, manjerona, noz-moscada, salsinha, orégano, sálvia, estragão e tomilho.

Couve-flor: Cebolinha, coentro, sálvia, cúrcuma.

Ervilhas: Hortelã, cebola, salsa, alecrim, estragão e cúrcuma.

Espinafre:  Dill, noz-moscada, estragão.

Milho: Manjericão, cebolinha, dill e orégano.

Pepinos: Dill e Hortelã.

Pimentão: Manjericão, orégano e alecrim.


Repolho: Sementes de aipo, zimbro e estragão.

Tomates: Manjericão, coentro, cominho, erva-doce, alho, orégano, pimenta vermelha, páprica, alecrim, cúrcuma, estragão e tomilho.

Ozana Herrera

 Cuesta Sabores

Como aromatizar azeites

A técnica de infundir sabores e aromas em azeites é utilizada por diversas culturas ao redor do mundo há milhares de anos. Os azeites flavorizados e aromatizados são fantásticos para usar em saladas, aspergir sobre massas ou simplesmente comer como aperitivo, com uma bela fatia de pão artesanal.

Os azeites aromatizados comprados em lojas são muito caros e nem sempre são feitos com o seu azeite predileto. Você pode economizar fazendo o seu e ainda lucrar com isso. É muito fácil de preparar e não faz sujeira nenhuma. Facilmente você prepara diversos sabores para consumir ou dar de presente aos seus amigos. Com certeza eles irão adorar e pedir mais.

O que você vai precisar:

1 garrafa grande de azeite de boa qualidade ou extra-virgem
1 copo de medição, de preferencia com bico
Algumas garrafas bonitas
Ervas e especiarias secas
1 funil
Colheres de medida
rolhas

Como fazer?

Primeiro, certifique-se que as garrafas e rolhas estejam bem limpas. Lave-as com água fervente e um pouco de detergente para desinfetar, enxague  bem e deixe secar, com a boca virada para baixo para escorrer toda água.

Infusão a frio: Adicione 2 colheres de sopa de ervas secas e especiarias (conforme os sabores desejados) na garrafa, utilizando o funil. Despeje o azeite até encher o vasilhame, tampe-o e coloque-o em infusão num armário escuro por 3 ou 4 semanas, para permitir que os sabores se desenvolvam. Está pronto. Se preferir, coe o conteúdo e devolva de volta à garrafa, usando o funil.

Infusão a quente: Aqueça o azeite em uma panela em fogo médio. Para infusão a quente, sugiro que você use um azeite comum de boa qualidade, não é necessário usar o extra-virgem. Adicione ¼ de xícara de ervas secas e especiarias (conforme os sabores desejados). Abaixe o fogo e deixe ferver por alguns minutos. Não deixe a temperatura ultrapassar 180ºC. Controle-a usando um termómetro culinário. Se o azeite ultrapassar essa temperatura perde suas propriedades. Deixe esfriar e coe. Transfira para as garrafas usando um funil.

Usando ervas aromáticas secas e especiarias, os sabores desses azeites duram até um ano. Guarde sempre num armário escuro, isso ajuda a conservar melhor.

Usando ervas frescas.

É possível utilizar ingredientes frescos. O problema é que eles têm umidade e isso pode levar ao crescimento de bactérias e tornar o azeite impróprio para o consumo. Utilizando ervas frescas os cuidados de preparo são mais exigentes e a vida útil do azeite bem curta. 

Aqueça o azeite em fogo médio, adicione os agentes aromatizantes, deixe ferver por 2 ou 3 minutos em fogo baixo, sem ultrapassar 180ºC. Espere esfriar, coe e transfira para as garrafas. Coloque-as no freezer para congelar. Quando for usar retire-a do freezer e mantenha no refrigerador, use o azeite no prazo de 10 dias, mantendo sempre refrigerado.

Para esse preparo, sugiro que você use garrafas pequenas, para evitar desperdício devido a curta vida útil do azeite. Você pode colocar ramos de ervas como alecrim, manjericão, louro, tomilho, orégano, etc.  Use especiarias inteiras como pimentas, canela, cravo, gengibre, alho, etc. Lave tudo e seque muito bem. Uma vez que serão usados no prazo de 10 dias, eles não estão susceptíveis a ficar rançosos ou criar bolor. E isso deixa o seu azeite muito bonito e decorado.

Que ervas usar?

Os azeites podem ser aromatizados com apenas um ingrediente ou com uma mistura deles, que vai infundir um sabor e aroma complexo a ele. Pense no tipo de comida que você gosta. Procure usar as que você encontra na sua região.

Aqui estão algumas ideias:

Azeite com pimenta: Use flocos de pimenta secas variados (calabreza, do reino, rosa, malagueta)
Limão e alho: Casca de limão siciliano e dentes de alho,
Ervas aromáticas italianas: orégano, alecrim, tomilho, manjericão,
Alho e erva-doce: Dentes de alho e sementes de erva doce,
Mediterrâneo: Manjericão, flocos de pimenta vermelha,
Indiano: Sementes de cominho, sementes de coentro, flocos de pimenta,
Herbes de Provence:  Folhas de louro, tomilho, erva-doce, alecrim, orégano, segurelha, estragão, hortelã, manjerona, manjericão e flores de lavanda.

Outra sugestão é usar os temperos da Cuesta Sabores para preparar os seus azeites. Os temperos FRENCH, ITALIAN e GREEK são excelentes mixes de ervas aromáticas para ser usados no preparo dos azeites. O Pesto TOMATO é perfeito para usar em massas e muitos pratos italianos.

Seja criativo(a) e divirta-se com isso. Compartilhe esses sabores deliciosos com seus amigos e familiares e crie uma comida fabulosa e inesquecível.

Onde usar os azeites?

Quando misturamos os sabores e aromas de ervas aromáticos e especiarias em azeites, estamos criando uma nova e saudável opção que capta a essência do Mediterrâneo. Suas saladas, peixes, carnes e massas terão um toque muito especial.

Cada tipo de prato ganha outra roupagem de sabor e aroma, por exemplo, use azeites com predominância de ervas como o manjericão para saladas, erva-doce para peixes ou de orégano para cordeiro.
Uma receita básica e prática

Essa é uma receita clássica de azeite flavorizado para múltiplos usos. Escolha um dos métodos acima e prepare já o seu.

Azeite do Mediterrâneo
10 g de alecrim seco
10 g de tomilho seco
10 g de orégano seco
10 g de manjericão seco
1 colher de chá de sal
½ litro de azeite

Se você quer uma opção menos elaborada, use qualquer um dos nossos 21 sabores de temperos, simplesmente adicionando azeite e servindo como entrada com torradas ou pães. Se você quer arrasar e impressionar seus convidados, misture um pouco de azeite a cada um dos nossos sais gourmet: CELERY SALT, SMOKED SALT e FUNGHI SALT.

Não tem erro, é sucesso na certa. 

Ozana Herrera

Cuesta Sabores

domingo, 6 de dezembro de 2015

Maneiras de preparar salmão: alguns métodos

Quando perfeitamente preparado o salmão é um peixe úmido, saboroso e suculento. Quando ele é cozido demais resseca e perde o sabor. 

Para cozinha-lo perfeitamente, é necessário retira-lo da fonte de calor antes que ele aparente totalmente cozido, ainda quando a parte central estiver translúcida. Se você retira-lo quando parecer cozido, vai ficar seco quando chegar à mesa. Veja a imagem.

Depois de 6 a 8 minutos de cozimento, verifique se o peixe está pronto. Use uma faca afiada para examinar a parte mais espessa. Se sua carne externa se apresenta em forma de lâminas mas ainda apresenta translucidez no centro ele está pronto. 



Frigideira

A forma mais rápida de preparar o salmão é usar uma boa frigideira bem grossa e frita-lo em um fio de azeite. É rápido e fácil, leva apenas de 6-8 minutos.

Adicione uma bela salada ou verduras e um pouco de arroz e você tem uma excelente refeição. Eu prezo sempre o caminho mais simples. 

Com ingredientes de alta qualidade como os temperos, sais e molhos da Cuesta Sabores, tudo o que você realmente precisa é um pouco de azeite de oliva para torna-lo delicioso.

  1. Pré-aqueça a frigideira em fogo médio-alto.
  2. Lave e seque os filés. Esfregue o azeite, temperos e sais.
  3. Quando a frigideira estiver quente, adicione um fio azeite.
  4. Coloque o salmão com a pele para baixo e deixe cozinhar por 3 minutos.
  5. Vire e reduza o fogo. Controle o calor. As especiarias e ervas podem queimar no fogo alto.
  6. Mantenha por 2 ou 3 minutos, virando e controlando o calor.


Grelha elétrica
 
Preparar a grelha: A temperatura ideal para grelhar salmão é a média-alta. Certifique-se que que a grelha está quente antes de iniciar. Comece passando azeite na grelha

Grelhar o salmão: Tempere os filés. Coloque o lado da pele do salmão em contato com a grelha. Não é necessário virar. O tempo de cozimento depende da grossura do filé. Para cada 3 cm deixe 8 minutos na grelha. Não tem erro.

A pele vai ficar grudada na grelha. Remova-a com uma espátula. Ela é muito crocante, saborosa e repleta de Omega-3.

Assar em forno convencional

Talvez essa seja a maneira mais saudável de preparar um peixe. Usa-se calor a seco e o mínimo de azeite, somente o necessário para deixar a carne no ponto certo. 

Forre uma assadeira com papel alumínio ou papel manteiga. Passe os temperos, sal junto com o azeite em todos os filés (ou um pincel culinário para espalhar um pouco de manteiga derretida) e asse em fogo baixo por bastante tempo. 

O tempo de assar é aproximadamente 10-12 minutos para cada 3 cm de espessura do filé.



Escaldar


Um jeito simples de preparar o salmão é escaldando. Escolha um líquido para escaldar o seu peixe: água, vinho ou caldo de peixe. 

Numa panela grande adicione o líquido que você escolheu, o tempero, como sal, pimenta, erva aromática, especiarias, etc e deixe ferver em fogo brando por 8 minutos. 

Coloque o salmão até ele ficar completamente opaco (cerca de 5 minutos). Remova-o e sirva.


Seja qual for o método que você escolher, use sempre um produto Cuesta Sabores para temperar ou complementar a sua receita. São produtos de alta qualidade delineados para levar saúde e sabor a todos os pratos.

Ozana Herrera



Maneiras de preparar salmão: sais gourmet

Salmão com sais gourmet

O salmão é um dos peixes mais saborosos que existe. Qualquer urso pardo sabe disso. 

Seu tempero não precisa ser complexo e não há necessidade de grandes preparos, principalmente se você tem pouco tempo para isso.

Um salmão temperado simplesmente com sal e pimenta, faz de um rotineiro jantar do meio da semana em um banquete. 

O segredo do preparo do salmão está no tempo de cozimento. Você pode fazer o tempero mais elaborado que existir, se errar esse tempo estraga o prato.

Muitas pessoas não são fãs de peixes e frutos do mar por causa do sabor forte, temperar somente com sal e pimenta pode minimizar isso.

Sugerimos que você utilize um dos nossos sais gourmet para preparar o seu salmão. Oferecemos 3 opções práticas para você temperar o seu salmão e servi-lo rapidamente. Com eles você pode comer salmão 3 vezes na semana sem enjoar. 
  • Celery Salt, flor de sal com aipo fornece um sabor fresco e perfumado de ervas, muito leve e saboroso. 
  • Smoked Salt deixa o salmão com um sabor defumado, delicioso e intenso. 
  • Funghi Salt feito com o italianíssimo funghi secchi Porcini, realça o salmão, trazendo os maravilhosos sabores da Itália e do Mediterrâneo. 
Basta mistura-los com pimenta do reino (opcional), esfregar no peixe e assa-lo, frita-lo ou cozinha-lo. Satisfação garantida!

Se você preferir, pode temperar o seu próprio sal. Simplesmente misture Flor de Sal com pimenta do reino, acrescente um pouco de raspa de casca de limão siciliano e está pronto. Basta esfregar nos filés e cozinha-los da maneira que você preferir.

Dicas de preparo:

Filés sem pele:
  1. Aqueça 1 colher de azeite em uma frigideira grande em fogo médio. Tempere o salmão com sal e pimenta ou use um dos sais gourmet da Cuesta Sabores: CelerySalt, Smoked Salt ou Funghi Salt.
  2. Frite por cerca de 4-6 minutos. Vire e deixe por mais 4-6 minutos, até o ponto ideal de cozimento.
Filés com pele:
  1. Aqueça 1 colher de azeite em uma frigideira grande em fogo médio. Tempere o salmão com sal e pimenta ou use um dos nossos sais gourmet da Cuesta SaboresCelery SaltSmoked Salt ou Funghi Salt.
  2. Esfregue ½ colher de sopa de manteiga em cada lado do filé. Frite o salmão, com a pele voltada para baixo  por cerca de 6 minutos, até a pele ficar bem crocante e dourada. Vire o salmão e deixe por mais 1 a 2 minutos se desejar a carne ao ponto.
Ozana Herrera



Maneiras de preparar salmão: crosta de castanha de caju

Cansada(o) de comer salmão sempre do mesmo jeito? Imagine uma crosta crocante e saborosa para o seu salmão. Deu água na boca? 

A crosta de castanha de caju dá a ele uma nova e deliciosa roupagem, cheia de sabor e textura. Levemente apimentada, fornece a ele um inusitado e autêntico sabor, estilo brasileiro.

Sugerimos que você use o Pesto Cashew da Cuesta Sabores para preparar o seu salmão. 
Ele integra todos os ingredientes na medida certa e facilita sua vida na cozinha. Basta adiciona-lo a mistura de mostarda e mel e está pronto para usar no salmão.


Caso você prefira fazer a sua própria crosta, segue abaixo uma receita.

Salmão com Crosta Castanha de Caju

Porções:  4

4 filés de salmão grossos
2 colheres de sopa de azeite de oliva
1/4 xícara de mel
1/4 xícara de mostarda amarela
2 colheres de sopa de cebolas picadas
1 dente de alho  picado
1 colher de chá de Chili Pepper  da Cuesta Sabores
1 xícara de Castanha de Caju da Cuesta Sabores picadas
1/2 limão

Como preparar:
  1. Pré-aqueça o forno à 200ºC.
  2. Em uma frigideira grande, coloque 1 colher de sopa de azeite e aqueça até ficar bem quente.
  3. Em uma tigela misture o mel e mostarda, adicione a cebola, o chili e o alho e misture bem. Ou simplifique adicionando o Pesto Cashew.
  4. Esfregue essa mistura na pele do salmão para revesti-lo. Adicione a castanha de caju no restante e misture bem. Reserve.
  5. Coloque o salmão na frigideira com o lado da pele para baixo e frite até dourar. Retire. Arrume-o em uma assadeira e cubra a parte sem pele com o restante da mistura. Leve ao forno por 15-20 minutos para gratinar. 
  6. Regue com  azeite restante, algumas gotas de limão e sirva imediatamente.
Ozana Herrera



sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Maneiras de preparar salmão: molhos

Os molhos ideais para acompanhar o salmão são os molhos com ingredientes ácidos. 

O Vinagrete é um clássico e não tem jeito de errar. Muitas pessoas não gostam de salmão porque consideram sua carne muito seca. 

Servi-lo com molho é uma excelente alternativa para aproveitar essa carne rica em sabor, cor, proteína e ômega-3.

Cuesta Sabores desenvolveu um molho VINAGRETE desidratado, prático e delicioso, que ajuda a ganhar tempo na cozinha. Basta reidratar e está pronto. 

Oferecemos também o molho CHIMICHURRI PEIXES E FRUTOS DO MAR especialmente preparado para acompanhar assados como o salmão.

Ganhe mais tempo para se dedicar à sua família e amigos. Nossos molhos são práticos, basta adicionar azeite, água morna e vinagre ou vinho, mexer bem e deixar descansar por algum tempo e está pronto para servir.

Se você preferir pode seguir a receita abaixo e preparar seu vinagrete, especial para acompanhar o salmão que você vai assar.

Salmão ao Vinagrete

Porções:  4

1 kg de salmão
1 tomate
1 cebola
1 limão
2 colheres de cebolinha picada
2 colheres de salsinha picada
2 colheres de manjericão picado
Pimenta do reino
Azeite de Oliva

 Como preparar
  1. Prepare o vinagrete. Pique o tomate, a cebola, a cebolinha, a salsinha e o manjericão. Coloque em uma tigela e adicione o suco do limão, azeite, pimenta do reino e sal à gosto. Misture bem, combinando todos os ingredientes cuidadosamente. Ou simplifique hidrate um dos nossos molhos, especiais para peixes Vinagrete ou Chimichurri Peixes e Frutos do Mar.
  2. Pré-aqueça o forno a 200°C. Cubra uma assadeira de metal rasa com papel alumínio. Pulverize-as com azeite ou unte-as com manteiga derretida.
  3. Coloque o salmão na assadeira. O lado da pele deve ficar para baixo. Faça alguns cortes para que o tempero penetre e despeje a mistura de ingredientes sobre o peixe.
  4. Asse o salmão. O tempo de cozimento irá variar de acordo com a espessura do seu filé. Para cada 2,5 cm de espessura, o tempo de assar será de 10 minutos. Por exemplo, se o filé tiver 4 cm de espessura, asse-o por 16 minutos. Independentemente do método de temperar o salmão, os tempos de cozimento permanecem os mesmos.
  5. Teste o ponto de cozimento do salmão. Nem todos os fornos cozinham por igual. No final do tempo, use um garfo para verificar se está no ponto lhe agrada.
  6. Divida o filé em 4 porções. Sirva com uma salada, massas, legumes e vinho branco.


 Ozana Herrera


Maneiras de temperar Salmão: ervas aromáticas

Comer peixe é sempre um prazer. Além de um hábito saudável, seja qual for o peixe e a forma de preparo sempre haverá adeptos. 

Nessa receita de simples preparo, a ervas aromáticas garantem a delicadeza do sabor do salmão.

Sugerimos a combinação dos temperos GREEK e FISH  da Cuesta Sabores para substituir as ervas para temperar o seu salmão. As ervas e especiarias que compõem tempero GREEK (alho, cebola, canela, noz moscada, tomilho, manjerona, orégano, hortelã, pimenta do reino, salsa, cebolinha, açúcar mascavo) fazem a diferença no sabor, aroma e apresentação do prato. A combinação de ambas conferem ao salmão um sabor do Mediterrâneo.

Se você preferir, pode usar uma receita de ervas e especiarias que você mesmo prepara para temperar o seu salmão ao molho de ervas. Basta seguir as instruções.

Salmão com ervas

Porções: 4-6

1 kg de salmão
4 ramos de alecrim
2 colheres de sopa de cebolinha
2 colheres de sopa de coentro
1 dente de alho picado
1 limão
1 colher de chá de pimenta do reino
8 colheres de sopa de azeite
Sal

Como preparar:
  1. Em uma tigela junte o alho, o sal, a pimenta (ou o tempero FISH) e uma colher de azeite. Misture bem até que vire uma pasta. Esfregue bem no salmão. Esprema o limão por cima e deixe marinando na geladeira por pelo menos 2 horas.
  2.  Lave bem as erva e seque-as. Pique bem e misture todas em uma tigela. Reserve.
  3.  Pré-aqueça o forno a 200°C. Cubra uma assadeira de metal rasa com papel alumínio. Pulverize-as com azeite ou unte-as com manteiga derretida.
  4. Coloque o salmão na assadeira. O lado da pele deve ficar para baixo. Faça alguns cortes para que o tempero penetre e esfregue uniformemente as ervas picadas (ou o tempero GREEK) sobre o salmão e regue com o restante do azeite.
  5. Asse o salmão. O tempo de cozimento irá variar de acordo com a espessura do seu filé. Para cada 2,5 cm de espessura, o tempo de assar será de 10 minutos. Por exemplo, se o filé tiver 4 cm de espessura, asse-o por 16 minutos. Independentemente do método de temperar o salmão, os tempos de cozimento permanecem os mesmos.
  6. Teste o ponto de cozimento do salmão. Nem todos os fornos cozinham por igual. No final do tempo, use um garfo para verificar se está no ponto lhe agrada.
  7. Divida o filé em 4-6 porções. Sirva. 
Ozana Herrera







Maneiras de temperar Salmão: marinada

As postas de salmão são versáteis e deliciosas. Elas cozinham rapidamente e não exige muitas técnicas culinárias para acertar a receita.

Adiciona-las à uma marinada é a forma mais comum de infundir um sabor extra no peixe.

Se você é um cozinheiro iniciante, não há o que temer ao preparar salmão. A primeira etapa do preparo pode ser uma marinada para temperar o salmão em seguida a escolha de um método para cozinha-lo que pode ser assar em forno, grelhar na chapa ou churrasqueira ou até ensopado.

Marinar um salmão é uma maneira fácil de intensificar seu sabor. Esse processo apresenta melhor resultado se você deixar a marinada sobre o peixe por algumas horas para que os sabores infiltrem-se na carne do salmão. Quanto mais tempo você deixar mais os temperos se agregam ao peixe.

Sugerimos que você use os temperos FISH e FRENCH da Cuesta Sabores para preparar a sua marinada. Eles são preparados com ingredientes combinados harmonicamente para fazer o seu salmão mais saboroso e mais saudável. Também oferecemos a opção de você preparar a sua própria marinada seguindo a receita abaixo:

Marinada para temperar salmão

Porções:  4

½ Kg de filé de salmão
2 colheres de sopa de WASABI da Cuesta Sabores
2 colheres de molho inglês
2 colheres de sopa de mostarda Dijon
2 colheres de sopa de molho de soja
¼ de xícara de vinho branco seco

 Como preparar
  1. Prepare a marinada. Em uma tigela, misture o molho raiz forte,  molho inglês, molho de soja, mostarda e vinho branco. Misture bem, combinando todos os ingredientes cuidadosamente.
  2. Despeje a marinada em um saco de congelar, tipo zip e, em seguida, coloque o filé de salmão. Certifique-se que a marinada cubra a carne do salmão. Coloque o saco na geladeira por 8 horas ou durante a noite.
  3. Pré-aqueça o forno a 200°C. Cubra uma assadeira de metal rasa com papel alumínio. Pulverize-as com azeite ou unte-as com manteiga derretida.
  4. Retire o salmão do saco e coloque-o na assadeira. O lado da pele deve ficar em contato com a assadeira.
  5. Asse o salmão. O tempo de cozimento irá variar de acordo com a espessura do seu filé. Para cada 2,5 cm de espessura, o tempo de assar será de 10 minutos. Por exemplo, se o filé tiver 4 cm de espessura, asse-o por 16 minutos. Independentemente do método de temperar o salmão, os tempos de cozimento permanecem os mesmos.
  6. Teste o ponto de cozimento do salmão. Nem todos os fornos cozinham por igual. No final do tempo, use um garfo para verificar se está no ponto lhe agrada.
  7. Divida o filé em 4 porções. Sirva com uma salada, massas, legumes e vinho branco. 
Ozana Herrera







Maneiras de temperar Salmão: rub seco


O salmão é um dos peixes mais versáteis disponíveis no mercado e há uma variedade de opções de temperos para deixa-lo maravilhoso. Vamos publicar 5 opções para tempera-lo usando um dos nossos deliciosos e saudáveis temperos ou uma receita tradicional, que você mesmo preparar.

O salmão é  um peixe saboroso e fica delicioso quando temperado apenas com sal e pimenta, mas as possibilidades de como se temperar o salmão são tão ilimitadas quanto à imaginação do cozinheiro.

Um “rub” nada mais é do que uma mistura de ingredientes secos que será usado para temperar o seu filé de salmão. 

Uma opção eficaz é utilizar o tempero FISH da Cuesta Sabores, ele é composto por 18 ingredientes diferentes (alho, cebola, aipo, alecrim, casca de limão, coentro, erva doce, gengibre, dill, cominho, louro, manjericão, manjerona, orégano, tomilho, pimenta do reino, salsa, segurelha), combinados sinergicamente para fazer o seu salmão mais saudável e delicioso.

A outra opção é preparar o seu próprio "rub" seguindo a receita abaixo.

“Rub” seco para temperar salmão

Porções:  4

½ Kg de filé de salmão
½ xícara de açúcar mascavo
1 colher de chá de pimenta malagueta seca
1 colher de chá de pimenta do reino
1 colher de chá de mostarda em grãos moída

Como Preparar
  1. Cubra uma assadeira rasa de metal, com papel alumínio. Pulverize as folhas de papel alumínio com azeite ou unte com manteiga derretida. Pré-aqueça o forno em 200°C.
  2. Prepare o rub. Junte o açúcar mascavo, as pimentas, a mostarda e sal à gosto no processador e triture tudo até conseguir uma textura uniforme. Ou simplifique, use o Tempero FISH da Cuesta Sabores.
  3. Coloque o filé de salmão sobre o papel alumínio. Se você estiver usando o salmão com pele, deixe-a em contato com a assadeira.
  4. Polvilhe o rub uniformemente sobre o salmão e com os dedos esfregue a mistura sobre a carne do salmão. Se estiver assando o salmão sem pele faça isso dos dois lados.
  5. Para que o sabor fique mais intenso, coloque o filé de salmão na geladeira uma hora antes de assa-lo para deixar que o rub penetre na carne do peixe.
  6. Asse o salmão. O tempo de cozimento irá variar de acordo com a espessura do seu filé. Para cada 2,5 cm de espessura, o tempo de assar será de 10 minutos. Por exemplo, se o filé tiver 4 cm de espessura, asse-o por 16 minutos.
  7. Teste o ponto de cozimento do salmão. Nem todos os fornos cozinham por igual. No final do tempo, use um garfo para verificar se está no ponto lhe agrada.
  8. Divida o filé em 4 porções e está pronto para servir!
Ozana Herrera

 Cuesta Sabores


sábado, 28 de novembro de 2015

Benefícios do Sal Marinho

O sal apesar de comum é um alimento extraordinário. Ele está presente em todas nossas refeições e nós damos pouca importância a ele. 

O que seria do nosso paladar sem o sal?

O sal marinho, em especial é o sal mais comum no Brasil e seus benefícios surpreendentes fazem desse ingrediente precioso um produto especial e que trás muitos benefícios à saúde se consumido com moderação.

Como é colhido
O sal marinho é colhido por evaporação. Nas salinas, a água do mar que é rica em minerais e nutrientes é represada em grandes lagos rasos.  Num processo muito lento, com o calor do sol e a ação do vento, essa água evapora e seus minerais e nutrientes se cristalizam, formando o sal.

Flor de Sal
A primeira camada de cristais de sal coletada nas lagoas de evaporação é onde se acumulam os minerais e nutrientes mais nobres. Esse produto é conhecido por Flor do Sal. Para cada 80 kg de sal colhido, são produzidos 1 kg de Flor de Sal. É um produto nobre e muito valorizado no mercado gourmet e da saúde. É conhecida como “o caviar dos sais” devido ao seu sabor mais complexo e cheio de nuances.

Processamento do Sal
O sal marinho verdadeiro recebe pouco ou nenhum processamento adicional. Uma vez evaporado ele retém os minerais e outros componentes naturais após a evaporação. Esses elementos que incluem nutrientes como magnésio, potássio e cálcio, adicionam sabor e muitas vezes cor ao sal. São sabores sutis que variam conforme a água do mar do local onde o sal é colhido. E sua cor é influenciada por partículas minúsculas que lhe dão uma cor cinzenta, como o famoso sal francês de Guerande ou vermelho, como o não menos famoso sal vermelho ou sal negro do Havaí, com partículas de lava vulcânica vermelha ou preta.

Sabor & Saúde
Tanto o sal marinho natural quanto o sal de mesa comum (processado), ambos contêm praticamente a mesma quantidade de sódio, portanto não oferecem nenhuma vantagem para aqueles que desejam reduzir o consumo de sódio. Mas em termos de saúde, sabor e qualidade o sal marinho supera o sal comum por ser minimamente processado, não conter aditivos e privilegiar os minerais naturais.

 Cuesta SaboresO sal de cozinha comum, iodado, o tempero mais popular do planeta é excessivamente processado e não oferece esses importantes minerais e nutrientes naturais. Para refina-lo são usados muitos aditivos químicos para branquear, não deixar aglutinar entre outras coisas, que os minerais naturais originais, retirados da água evaporada que fazem do sal um alimento nutritivo e essencial à vida, se desnaturalizaram.


Conheça a nossa linha de Sais Gourmet. São feitos com a mais pura Flor de Sal, rica em nutrientes e minerais naturais, sem químicas, sem aditivos. Descubra os benefícios do sal marinho para sua saúde e os seus maravilhosos sabores, capazes de engrandecer qualquer receita.

Ozana Herrera

domingo, 22 de novembro de 2015

Segredo para uma vida longa e saudável

Se você encher regularmente o seu carrinho de supermercado com uma variedade de vegetais, de preferência muito coloridos, tenha certeza que você está no caminho certo para uma vida saudável e mais longa.

Mas qual deles você deve comprar? Seguem aqui algumas das nossas dicas:

Beterraba: A cor rubi-vermelha das beterrabas são umas das principais fontes de nitratos, que são bons para pressão arterial. Além disso, a beterraba oferece fibras e outros nutrientes.
Sugestões de preparo: Assar as beterrabas aumenta a sua doçura natural. Embrulhe cada beterraba em papel alumínio e leve ao forno (200°C) até ficarem macias. Outra opção é ralar as beterrabas cruas e adicionar às saladas verdes, sopas, sanduíches etc.

Folhas da Beterraba: Você sabia que são comestíveis? São repletas de vitamina K, que reduz a chance de se adquirir Diabetes tipo 2. Uma xícara fornece quase duas vezes sua necessidade diária
Sugestões de preparo: Refogue as folhas de beterraba picadas com um pouco de azeite e alho. Outra opção é adiciona-las à “frittatas”, sopas ou massas.

Agrião: Muitas vezes ofuscado pela rúcula, essa vegetal levemente ardido pode superar muitos outros em termos nutricionais. É especialmente rico em vitaminas A, C e K, e outros antioxidantes bons para a saúde.
Sugestões de preparo: Pode ser usado fresco em sanduiches e em saladas. Outra opção é adiciona-lo em sopas e purês.

Aspargo: Com um sabor terroso e doce, o aspargo é um excelente fornecedor de folatos, que são um importante aliado na luta contra a pressão arterial elevada.
Sugestões de preparo: Com um descascador de legumes, corte fitas de aspargo cru e adicione as saladas.

Espinafre: Esse vegetal tem boas quantidades de vitaminas C, A e K, bem como manganês. Consumir 1 ½ xícaras de espinafre por dia, diminui o risco de adquiri Diabetes Tipo 2.
Sugestões de preparo: Adicione espinafre na sua dieta diariamente em ovos mexidos, cozidos ou até acrescentando a smoothies.

Couve: Carregada de nutrientes como as Vitaminas B6, C e K, responsável pela formação dos ossos, a couve é considerada um superalimento.
Sugestões de preparo: Use em saladas, refogada em  alho e azeite, adicione em sopas, caldos, recheios e até em sucos.

Ervilha Verde: Manter um saco de ervilhas congeladas no freezer é sempre uma boa ideia. Cada xícara contém 6 gramas de fibras. As fibras ajudam a ter a sensação de saciedade e comer menos. Além de serem ajudarem na digestão, consumir ervilhas reduz os níveis de colesterol.
Sugestões de preparo: Use ervilhas congeladas e sopas, molhos e massas.

Pimentão: Muita gente pensa que é um legume, mas o pimentão é um fruto. Principalmente os amarelos e vermelhos, oferecem vitamina B, betacaroteno e mais de duas vezes as necessidades diárias de vitamina C.
Sugestões de preparo: Limpe os pimentões em seguida asse-os até ficarem macios. Corte em tiras e sirva com a sua salada predileta.

Brócolis:  É uma das estrelas da natureza. É uma fonte “top” de fitoquímicos que ajudam a reduzir o risco de alguns tipos de câncer. Cada xícara de suas florzinhas é abundante em vitaminas C e K.

Sugestões de preparo: Refogue o brócolis com azeite e alho. Use como acompanhamento ou em pizzas, tortas, fittatas, molhos para acompanhar massas, etc.


 CUESTA GOURMET



3 excelentes razões para consumir cúrcuma

Cúrcuma ou Açafrão da Terra é um tempero culinário usado em diversas culturas.

É o ingrediente mais importante dos curries indianos e é ela que dá a cor amarela à mostarda.
Além de ser um alimento usado há milhares de anos, existem evidências científicas que relacionam esse colorido ingrediente à prevenção de inúmeras doenças, devido à sua ação anti-inflamatória.

Desde 2007, quando o respeitado etno-botânico James Duke publicou uma revisão sobre os benefícios abrangentes do açafrão, esse maravilhoso ingrediente passou a integrar terapias alternativas e complementares. Após analisar mais de 700 estudos, Duke concluiu que a cúrcuma pode superar  os efeitos de diversos produtos farmacêuticos no tratamento de  várias doenças crônicas e debilitantes, praticamente sem os efeitos colaterais adversos.

Algumas doenças que a cúrcuma pode ajudar a prevenir ou aliviar:

Doença de Alzheimer: Duke encontrou mais de 50 estudos sobre os efeitos da cúrcuma sobre a Doença de Alzheimer. Seus relatos indicam que os extratos do açafrão contem uma série de agentes naturais que bloqueiam a formação de beta-amilóide, a substância responsável pelas placas que obstruem lentamente as funções cerebrais na Doença de Alzheimer.

Artrite: A cúrcuma contém mais de 24 compostos anti-inflamatórios, incluindo a COX-2 (inibidores que bloqueiam seletivamente as 6 diferentes enzimas que promovem a dor, o inchaço e a inflamação). A curcumina, o principio ativo do açafrão é um poderoso agente anti-inflamatório multifacetado. Estudos sobre a eficácia da curcumina comprovam mudanças positivas nos sintomas de artrite.

Câncer: Duke encontrou mais de 200 citações sobre os benefícios do açafrão relacionados com câncer e mais de 700 citações para curcumina e câncer. Relatou ainda que os mecanismos de ação da curcumina foram eficazes em testes em animais, na prevenção e tratamento de câncer de cólon, mama, próstata, fígado, esôfago e bucal.

Como você pode incluir mais curcumina na sua dieta? Basta comer muito açafrão ou cúrcuma.

Muitos temperos da Cuesta Sabores oferecem cúrcuma em sua formulação. Basta adiciona-los às suas receitas. Além delas ficarem deliciosas, você ainda vai ganhar muita saúde. Entre no nosso site, conheça os nossos produtos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Dieta Paleo

A Dieta Paleo enfatiza o consumo dos alimentos que nossos ancestrais comiam, ou seja, carne magra, peixes, frutas, legumes e nozes. Sem os grãos.

De tempos em tempos surgem receitas mágicas, que apregoam que devemos mudar nossa dieta, comendo o que comiam nossos antepassados. Como se isso fosse possível. 
Houveram inúmeros melhoramentos genéticos nos alimentos, empobrecimento dos solos e inúmeras variáveis que faz com isso seja praticamente impossível. 

Na defesa dessas ideias, eles se apegam num determinismo genético ou evolutivo, alegando que os seres humanos foram “projetados” para comer muita carne e que hoje está acima do peso e desenvolveu doenças crônicas, porque deixou de seguir sua dieta ideal.

Os que defendem a Dieta Paleo, partem do princípio de que os primeiros humanos eram caçadores e
coletores, que consumiam quase que exclusivamente carne magra, frutas e vegetais crus. Não consumiam produtos lácteos e nem grãos de cereais. Eles afirmam que os humanos antigos consumiam muito mais proteínas que os atuais, mais fibras, nenhum açúcar refinado e o quase nada de sódio.

São milênios que nos separam da Era Paleolítica. Qualquer evidência sobre as dietas dos nossos ancestrais são muito pífias e incertas. Os primeiros humanos viveram em nichos ecológicos com diferentes fontes de alimentos, com um solo mais rico em nutrientes e nenhuma poluição. A vida era dura na Era Paleo. Não se tinha muita escolha. A sobrevivência falava mais alto. Eles comiam tudo que passava pela frente ou que conseguiam pegar.

Não há indícios de doenças cardíacas ou câncer nos antepassados do Paleolítico, mas isso se deve por eles não viviam o suficiente para desenvolvê-las. Morria-se muito jovem. Muitos certamente sofriam de deficiência de nutrientes e fome.

Um aspecto positivo das Dietas Paleo é que eles condenam as “junk food”, açúcares refinados e o excesso de sal. Enfatizam os alimentos ricos em nutrientes e fibras como as frutas, vegetais e nozes. Mas não incluem alimentos saudáveis como os grãos integrais, laticínios e feijão.

Na minha opinião a melhor dieta é aquela que integra todas as categorias de alimentos, de maneira equilibrada, fornecendo um amplo leque de nutrientes como as vitaminas, minerais, antioxidantes, etc. Minha preferência é por produtos cultivados sem agrotóxicos.

E você o que pensa sobre a Dieta Paleo? Deixe sua opinião!

Seja qual o tipo de dieta que você adere, você sempre vai precisar bons produtos e de um bom tempero para as suas receitas. Conheça a nossa linha de produtos saudáveis, ideais para qualquer tipo de dieta.
Ozana Herrera

 Cuesta Gourmet

Vegetais crucíferos: coma porque te faz bem!

Você sabe o que o brócolis, a couve-flor, a couve, o repolho e a acelga têm em comum? 

São todos membros da família dos crucíferos. 
O estranho nome vem do Latim "crux",  porque suas flores geralmente tem quatro pétalas, que formam uma cruz.

Esses crocantes vegetais possuem tudo que faz bem: vitaminas, fitoquímicos, fibras e combatem muitas doenças. 

Recomenda-se que para ter uma boa saúde, é necessário comer várias porções de vegetais crucíferos por semana, e existem boas razões para isso, veja a seguir algumas:

Reduzir o risco de Câncer: 
Uma pesquisa feita nos EUA mostrou que mais de 70% dos estudos sobre câncer realizados encontraram uma forte correlação entre consumo de vegetais crucíferos e prevenção de câncer. Conforme o Instituto Americano para Prevenção do Câncer, vários componentes em vegetais crucíferos  tem demonstrado a capacidade de parar o crescimento de células cancerígenas em tumores de mama, endométrio, pulmão, cólon, fígado e colo do útero. E os estudos que seguem a dieta de pessoas ao longo do tempo, descobriram que as dietas ricas em vegetais crucíferos estão vinculadas a taxas mais baixas de câncer de próstata.
Estudos realizados em laboratório mostram que um dos fitoquímicos encontrados em vegetais crucíferos, o sulforafano, pode estimular as enzimas a desintoxicar o organismo e eliminar os elementos cancerígenos antes que eles danifiquem as células. Outros dois compostos encontrados nos vegetais crucíferos, o índole 3-carbinol e crambene também ativam as enzimas nesse processo de defesa. 

Estresse Oxidativo: 
Outra maneira que os crucíferos ajudam a proteger contra o câncer é através da redução do estresse oxidativo. O estresse oxidativo é a sobrecarga de moléculas nocivas, conhecidas como radicais livres de oxigênio, que são gerados pelo corpo. A redução dos radicais livres podem reduzir o risco de câncer de cólon, pulmão, próstata, mama entre outros.
Num estudo, 20 participantes foram incentivados a comer 1 a 2 xícaras de vegetais crucíferos por dia. Após 3 semanas, a quantidade de estresse oxidativo de seus corpos foi medida. O resultado foi que o estresse oxidativo caiu para 22% , durante o período que consumiram essa dieta.

Doença cardiovascular: 
Dietas ricas em peixes e vegetais crucíferos, incluindo os amarelo-escuros, podem ajudar a proteger contra doenças cardiovasculares. Um estudo recente descobriu que essa dieta foi associada a baixos níveis de marcadores de inflamação no corpo. São eles que indicam um risco aumentado de doença cardiovascular.

 A evidência é bem forte de que comer vegetais crucíferos é saudável. É uma escolha que não faz nenhum mal e é associada à melhoria da saúde e redução do risco de várias doenças crônicas.

Como aproveitar melhor os benefícios dos crucíferos:

  • Não os cozinhe demais. Eles podem produzir um forte odor de enxofre e tornar-se desagradável;
  •  Para reter os fitoquímicos que fazem dos vegetais crucíferos especiais em termos de saúde, coma-os crus ou levemente cozidos ao vapor;
  •    Você encontra vários tipos de vegetais crucíferos congelados nos supermercados, incluindo brócolis, couve-flor e até couve-de-bruxelas,
  •  Experimente adicionar brócolis cru ou couve-flor à salada verde, seus nutrientes serão maximizados.
  •  Adicione os crucíferos em sopas, caldos, ensopados e refogados,
  •  Ao comprar brócolis fresco, procure os firmes, com florzinhas verde-escuras, existe o roxo também, mas é difícil encontrar no Brasil. Se o brócolis estiver amarelo, não compre, é velho.
Ozana Herrera

www.cuestasabores.com.br